Crédito Pessoal: Aprenda a Usar da Maneira Correta

Aprenda a usar de maneira correta seu crédito pessoal.

Recentemente o Governo regulamentou a atuação das Fintechs – empresas de tecnologia que atuam no setor financeiro. A regulamentação tem como objetivo aumentar a concorrência no mercado de crédito pessoal e, com isso, baixar as taxas de juros cobradas das pessoas que tomam empréstimos. Empresas como EasyCrédito, Just e Simplic atuam no mercado de crédito pessoal em plataformas totalmente digitais, agilizando o processo e oferecendo taxas mais baixas de juros na tomada de crédito pessoal.

Antes de pedir crédito pessoal muitos fatores devem ser avaliados para minimizar os riscos. O empréstimo deve ser uma opção de solução para alguma dívida mais cara, ou a aquisição de algum bem. Algumas dicas são importantes para que você não tenha problemas ao adquirir crédito pessoal:

1. Saiba Exatamente de Quanto Você Precisa

Independente da razão para solicitar crédito pessoal, é imprescindível saber o valor exato a ser contratado. Na hora de pedir o crédito pessoal, muitas pessoas tendem a pegar um valor maior do que a sua real necessidade. Para pedir crédito pessoal de forma correta, é preciso ter controle sobre suas dívidas e ter um controle bem organizado sobre sua vida financeira.

Empréstimos com valores superiores ao necessário acarretarão em parcelas maiores ou um tempo maior para sua quitação. Uma falta de planejamento nesta etapa pode significar um desastre na sua vida financeira. Por isso, a primeira dica é não dar um passo maior do que as suas pernas e solicitar o valor exato que você precisa.

Nunca se esqueça que o crédito pessoal nada mais é do que outra dívida, e que ela precisará ser quitada com o passar do tempo.

2. Pesquise as melhores taxas de juros

Com o aumento da concorrência no setor de crédito pessoal as taxas de juros cobradas tendem a cair. As condições de uma corretora para outra podem variar, é importantíssimo que a pessoa interessada faça uma vasta e precisa análise entre as diferentes instituições financeiras. Esta pesquisa pode ser feita pela internet, visitando o site das próprias corretoras. Quase todas possuem simuladores de crédito pessoal. Fazer uma simulação do quanto precisa e de qual será o valor total pago por aquele crédito fica bem mais rápido e simples!

3. Pense além do seu banco

Atualmente existem mais de 56 Fintechs, que atuam no setor de empréstimos no Brasil. É o mercado se transformando, na direção de melhores serviços e menores custos para os usuários finais. Por trabalharem em plataformas 100% digitais elas conseguem oferecer bastante agilidade no processo e maiores taxas de aprovação. Desde a solicitação do crédito pessoal, ao envio da documentação e aprovação do crédito, tudo acontece diretamente pelo site das corretoras. O crédito é depositado diretamente na sua conta corrente. Fique atento nenhuma corretora pede pagamento adiantado para liberação de crédito pessoal. Caso isso aconteça – fique sabendo – é golpe!

4. Organize suas finanças

O crédito pessoal deve ser usado para melhorar a sua vida financeira e não para piorá-la. Por essa razão, na hora de solicitar o empréstimo a pessoa deve colocar sua vida financeira nos eixos. Ser disciplinado e organizado é essencial. Faça um levantamento cuidadoso de suas dívidas, com a quantia total que deve liquidar e as parcelas restantes. Além disso, não se esqueça de anotar todas as entradas e saídas do seu dinheiro. Anote sua renda total e os gastos. É importante manter o controle sobre todas essas despesas:  desta forma você terá uma visão real da sua situação financeira. Com isso você acaba cortando despesas desnecessárias. Para o planejamento financeiro, levando o crédito pessoal em consideração, deve-se deixar sempre uma porcentagem específica de sua renda destinada para a quitação das suas parcelas. Não respeitar as normas do acordo com o banco pode trazer muitas dores de cabeça, inclusive inviabilizar a tomada de novo crédito.

5. Use o cadastro positivo

Ao fazer o Cadastro Positivo, todas as contas que você paga em dia poderão ser consideradas. Aos poucos, você vai construindo um histórico de bom pagador. Na hora de analisar um pedido de crédito pessoal ou parcelar uma compra, o Cadastro Positivo pode facilitar as coisas.

Se você for um profissional autônomo e precisar de um financiamento ou crédito pessoal, por exemplo, mesmo que não tenha uma comprovação de renda formal, poderá conseguir o crédito graças ao seu cadastro positivo. Dependendo da política financeira da empresa, você pode conseguir taxas de juros melhores do que alguém que não tem o cadastro positivo. Pra melhorar um pouco mais, é importante dizer que o seu Cadastro Positivo pode ajudar a aumentar o seu Score de Crédito. O Score de Crédito é a pontuação que mede a confiança que o mercado tem na sua capacidade de honrar seus compromissos nos próximos doze meses, e que ajuda os bancos e empresas a aprovar aquele financiamento ou crédito pessoal na hora que você mais precisa.

Conclusão

Como ja foi dito anteriormente o crédito pessoal deve ser usado como uma ferramenta que te possibilite melhorar sua situação. Seja para substituir uma dívida mais cara, para aquisição de bens ou até mesmo crescimento profissional. Antes de tomar a decisão de pegar um empréstimo é preciso que seja feita uma análise rigorosa de todo o seu panorama financeiro. Levando em conta as dicas fornecidas neste artigo, espero ter te ajudado na tomada desta decisão. 

Empréstimo com Garantia na Creditas: A Revolução do Crédito Pessoal no Brasil

Cartão de Crédito Trigg Visa Internacional